Crack, o drama da alma

Publicado em jun 25, 2014

Crack, o drama da alma

Os órfãos do crack, aqueles que estão em casa à espera da mãe ou do pai viciados, ainda correm o risco de virarem mercadoria no comércio do crack. No Parque Amazônia em Goiânia, na segunda-feira, dia 9, a mãe tentou trocar a filha recém-nascida por 20 reais de pedras de crack. Ela daria a filha a um traficante em troca de uma porção da droga. A família dela se disse envergonhada. Mas, antes de julgar a mãe, é preciso observar que ela não mais opera com a razão, já tendo a sua racionalidade completamente destruída e tomada pela vontade do consumo da droga.
Para o combate incisivo ( Tratamento para a dependência do Crack  ) desse mal que tem dizimado milhares dos nossos, faz-se necessária a atuação em três frentes de mobilização: prevenção, repressão e tratamento. Primeira frente de ação, a prevenção deve voltar-se para a formação educacional, a fim de alcançar crianças, jovens e adultos. Na repressão, a atuação estatal deve buscar o desbaratamento das grandes quadrilhas organizadas, ao criar leis fortes, claras e efetivas, e investindo na área de segurança pública. A terceira frente, tratamento, compõe medida de caráter final e sanador. Para tanto, a criação de clínicas especializadas em desintoxicação e reintegração do dependente químico completaria o ciclo, dando maior efetividade às ações de mobilização.
Lastimavelmente, sem conseguirmos concretizar esses três passos, por essas paragens haverá, de fato, um mundo irrefreado, totalmente adulterado. Começando pela conotação que desenvolvemos para o termo flâneur… Se antes eram poetas, hoje são flanelinhas. Se antes eram olhos que funcionavam como janelas da alma, hoje são elementos espúrios da sociedade. Os dias de hoje nos têm servido para adulterar, ainda, muito mais que bombas de combustível e apetrechos materiais; nos têm adulterado o ideal ressocializador, e, ainda pior, nossas concepções humanísticas.

Nas linhas de um texto como este é latente o estado de catar-se, definido pelo pensador Aristóteles como o estado da alma a partir de uma descarga emocional provocada por um drama. As palavras parecem não mais alcançar a complexidade que a realidade revela. Mas, a capacidade de indignação de um povo não pode ser perdida e é preciso sair do estado de catarse e estabelecer soluções práticas. Esta é uma responsabilidade da sociedade e dos governos.

A Clínica Nova Aurora (Clínica de Reabilitação e Tratamento para Dependentes Químicos ~ Alcool ~ Drogas) conta com uma equipe de funcionários que estimula o uso de modelos de comportamentos positivos no interior da comunidade. Dispomos de psiquiatra, psicólogo, personal trainer, filósofo, técnico em dependência química, monitores e coordenador, com larga experiência na área, além de enfermeiro de nível superior. Nossa Clínica de Reabilitação se encontra ao lado de Recife-PE à poucos minutos do Centro. Atendemos também dependentes químicos de João Pessoa – PB, Maceió -AL e Natal – RN. Entre em contato conosco!