A saída para os dependentes químicos

Publicado em jun 25, 2014

A saída para os dependentes químicos

Quando o problema envolve a dependência química e psicológica, somente um profissional especializado pode fazer o diagnóstico e encaminhar ao tratamento. Se o usuário já ultrapassou a linha do consumo eventual e começa a sentir os efeitos nocivos das drogas sem conseguir reagir a eles, é hora de se iniciar um tratamento.

Para superar o vício, o dependente precisa, antes de tudo, querer. Mas, se não houver uma vontade por parte do usuário, a intervenção familiar é bem-vinda e, em muitas vezes, consegue sucesso. Instituições de todos os tipos entram nessa batalha de cura. Na maioria dos tratamentos existe passos básicos para o tratamento do usuário de drogas.

Esses “passos” incluem a admissão de que existe um problema, a busca de ajuda, auto-avaliação, partilha do problema preservando a identidade do dependente, reparação de danos causados pelo dependente e trabalho com outros usuários de drogas que queiram se recuperar.

Além de fazer com que o usuário abandone o uso de drogas, o êxito do tratamento leva a pessoa de volta às funções normais da família, do lugar de trabalho e da comunidade. O processo do tratamento individual depende da extensão e da natureza dos problemas apresentados pelo paciente e da participação ativa do paciente no tratamento.